ACUPUNTURA PARA DOENÇAS CRÔNICAS E DOENÇAS AGUDAS

DOR EM GERAL




21 de abr de 2015

TPM e Acupuntura






Ansiedade, dor muscular, dor de cabeça, tontura, depressão, inchaço, ganho de peso, irritabilidade, mamas doloridas, hostilidade, instabilidade emocional, choro fácil, ondas de calor, esquecimento, insônia, pânico, fadiga, gases, desejo alimentar alterado, queda de motivação, ideias suicidas... Esses são apenas alguns dos 150 sintomas listados que a mulher pode sentir durante a tensão pré-menstrual (TPM), síndrome que se manifesta de quatorze a dois dias antes da menstruação e desaparece com a chegada do fluxo. Não bastassem as alterações físicas e emocionais, há as comportamentais, como confusão, indecisão e tendência a ficar estabanada. Os sintomas variam de uma pessoa para outra e podem ser diferentes no mês seguinte. Hoje, felizmente, é consenso entre os profissionais de saúde que os sintomas se referem a uma síndrome, que atinge o sexo feminino de forma diferente e merece atenção. Sabe-se que 30% dos casos de tensão pré-menstrual apresentam-se de forma moderada. Isto é, incomodam, mas o desempenho geral da mulher não é afetado. Estudos recentes mostram que 10% das mulheres apresentam sintomas de forma significativa. E em 6 a 8% as alterações são tão intensas que chegam a comprometer a vida cotidiana. Estes casos são classificados como disforia luteal. Todas as mulheres em idade fértil convivem com as alterações bioquímicas nos níveis dos hormônios sexuais - estrógeno e progesterona -, responsáveis pela instabilidade feminina no período. Mas só isso não basta para desencadear a síndrome. Sua manifestação depende de outros fatores, físicos e emocionais. A predisposição genética, por exemplo, é um deles. Isso quer dizer que o histórico de mães e avós permite predizer como serão os períodos menstruais de filhas e netas. A TPM também está relacionada ao estilo de vida contemporâneo. Estresse, tensões, dificuldades econômicas e de relacionamento, enfim, os altos e baixos do dia-a-dia agem como gatilho para detonar o problema da TPM em mulheres predispostas, o que explica a maior incidência da síndrome em quem vive nos centros urbanos. Outro fator que contribui para o agravamento do problema é a própria condição feminina nos dias de hoje. A mulher, sobretudo nas grandes cidades, luta para dar conta dos novos e múltiplos papéis sociais assumidos. Isso porque boa parte, além de atuar em um mercado profissional competitivo e globalizado, é responsável por afazeres e finanças familiares. Informação auxilia no controle da doença A informação correta sobre o funcionamento do corpo auxilia muito a mulher a compreender o que está se passando com suas taxas hormonais, em cada fase do mês. Adotamos este procedimento pedagógico com todas as pacientes, desde a adolescente que acaba de menstruar pela primeira vez até as mulheres na idade adulta, que chegam ao consultório relatando queixas relacionadas ao ciclo menstrual. O segredo para conviver em paz com o ciclo menstrual é ter plena noção de como o organismo responde aos hormônios. Nos quinze dias após a menstruação, há produção de estrógeno e a mulher se torna sedutora, se arruma mais, fica ativa e extrovertida. Em seguida, o corpo se prepara para gerar uma nova vida e os níveis de progesterona se elevam. Ela se sente, então, mais maternal, introspectiva, organizadora, cooperativa. A saída é não ir de encontro à sua natureza, mas se deixar conduzir por ela. Diversas possibilidades terapêuticas Hoje, para tratar a TPM, existem muitas opções terapêuticas. De acordo com o estilo de vida e as condições de saúde de cada paciente, podemos definir a melhor opção terapêutica para cada mulher.A Acupuntura é uma opção extremamente eficaz para enfrentar este período geralmente equilibrando o organismo para que estas dificuldades não aconteçam mais. 

10 de fev de 2015

Introdução à Acupuntura com Prof. Dr. Ysao Yamamura

28 de jan de 2015

Mobilização do Qi (energia) Mental




Considerando que as emoções participam e causam o adoecimento em diversos níveis, o Prof. Dr. Ysao Yamamura propôs uma nova abordagem, a Mobilização de Qi Mental. Esta nova abordagem tem conceitos embasados nos mais recentes conhecimentos da neurobiologia, da medicina neuro-psico-imuno-endócrina, que leva em consideração a integração da mente com o corpo em seu nível mais sutil, o subconsciente; aliando assim, a filosofia milenar da Medicina Tradicional Chinesa aos conhecimentos da Medicina Ocidental.
O ponto de partida da Técnica de Mobilização do Qi (Energia) Mental é o princípio do Yang e do Yin, um dos pilares não só da Medicina Tradicional Chinesa, como de todo o pensamento chinês. É fundamental haver harmonia e equilíbrio entre o Yang e o Yin. Ao Yang corresponde a energia (Qi) – que, no homem, é constituída pela mente (funções psiconeurais) – e ao Yin, a matéria – no homem, o corpo físico.

No ser humano, alguns autores consideram a matéria (corpo físico) como epifenômeno da mente – e não o contrário (a mente como epifenômeno do corpo físico), como é o conceito dos antigos chineses e da atual medicina mente-corpo. Por este conceito, a mente tem o controle sobre o corpo físico; se este adoecer, é porque a mente está doente ou em desarmonia. E o que causa a desarmonia da mente são as emoções: quanto mais reprimidas forem, tanto pior. Por isso, a Técnica de Mobilização do Qi (Energia) Mental promove uma nova abordagem das emoções do passado para propiciar o processo de cura no presente.

Fonte:http:www.center-ao.com.br/qi-mental/20/mobilizacao-do-qi-mental

23 de jan de 2015

Informações gerais sobre Acupuntura





Acupuntura é a prática fundamental da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), usada há mais de 4000 anos no Oriente e agora difundida no Ocidente. Os fundamentos da Acupuntura têm comprovação científica no Brasil e a prática médica está entre as 50 especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) e pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

A técnica se baseia em energias que percorrem o corpo. Esses trajetos, - meridianos ou canais de energia -, passam pelos órgãos e vísceras e se exteriorizam na pele e estruturas próximas, como, tecido subcutâneo, músculos, tendões e outras.

Nos trajetos dos meridianos foram mapeados pontos, que podem ser alcançados por agulhas, permitindo que sejam estimulados ou sedados, conforme o caso, para desbloquear a passagem da energia e permitir sua circulação e distribuição pelo organismo. Ficará a critério do médico acupunturista, selecionar e fazer a combinação dos pontos mais adequados para colocação das agulhas no paciente, de acordo com as desarmonias e características de cada indivíduo.

Abaixo, a relação de formas complementares para agir sobre a energia dos meridianos. Pode-se usar agulhas em micro sistemas, como crânio, orelha, mãos, e outras áreas ou não usar agulhas mas outros instrumentos.

• Craniopuntura - É a aplicação das agulhas na região do crânio; esta região do corpo apresenta muitos canais de energia que podem ser acessados pelas agulhas, com excelentes resultados para o paciente.

• Aurículo-Acupuntura - Ë a aplicação das agulhas na região das orelhas; são utilizadas agulhas menores devido à região ser mais sensível. Excelente acesso para tratamento de dores em diversas localizações do corpo. São utilizadas sementes ou pequenas esferas nos pontos auriculares por alguns dias com o objetivo de ampliar a duração do efeito da Acupuntura.

• Moxabustão - Aplicação de calor com a moxa, que consiste em um bastão geralmente feito de algodão e uma planta medicinal prensada e seca, em geral a Artemísia vulgaris, o qual é aceso em uma de suas extremidades e aproximado do ponto que se quer tratar, a uma distância que permita aquecer a pele mas nunca queimar. A moxaterapia pode ser feita diariamente em casa, intensificando o efeito das aplicações das agulhas.

• Eletroacupuntura - Aplicação de pequena corrente elétrica, geralmente nas agulhas, que reforça o efeito da Acupuntura

• Laserterapia – Aplicação de radiação luminosa polarizada, que intensifica, ou em certos casos até substitui a aplicação de agulhas.

• Ventosas – Aplicação de campânulas de sucção a vácuo na pele, para produzir pressão interna negativa, descongestionando a energia e o sangue.
Embora seja indicada para dores, a Acupuntura, como uma especialidade médica, pode tratar uma grande variedade de doenças

• Músculo-esqueléticas – Dores de coluna (dorsalgia, lombalgia) e de joelho, ciática, ombro e cotovelo doloroso, bursite, tendinite, artrite, torcicolo, fibromialgia, dor da articulação temporomandibular (ATM), dor no calcâneo, traumatismos, lesões por esforços repetitivos (LER/DORT).

• Digestivas – Gastrite, refluxo gastroesofágico, azia, constipação intestinal, intestino irritável diarréico, enjôos.

• Respiratórias – Bronquite, asma, rinite, sinusite.

• Neurológicas – Enxaqueca, cefaléias em geral, vertigem e zumbidos, seqüelas de acidente vascular cerebral, paralisias faciais, neuralgia do trigêmeo, dores dentárias, neuralgias intercostais, formigamentos.

• Psíquicas – Ansiedade, depressão, insônia, síndrome do pânico, estresse.

• Ginecológicas – Tensão pré-menstrual (TPM), distúrbios menstruais, corrimentos genitais, sintomas de menopausa.

• Urológicas – Sintomas prostáticos e urinários

• Cardiovasculares – Hipertensão arterial, palpitações.

• Endócrinas – Obesidade.

• Dermatológicas – Urticária, eczemas, psoríase.

• Diversas – Tabagismo, gripe e resfriado, aumento da resistência imunitária em geral.

A Acupuntura aplicada por médico assegura que não está sendo tratado apenas o sintoma, mas também as doenças energéticas que são diagnosticadas e que são a base dos quadros clínicos apresentados pelo paciente.


Fonte: Corpo médico da AMBA

4 de jan de 2015

Gratidão 2014 e feliz 2015!


Prezados leitores e companheiros do "Caminho" : FELIZ ANO NOVO!


21 de abr de 2014

Como funciona a Acupuntura


19 de mar de 2014

Dor Crônica e Depressão


Dor é sempre subjetiva
Sempre uma sensação desagradável
Sempre uma experiência emocional

               



A dor crônica não está necessariamente relacionada à presença de um dano físico. Quando a dor persiste após o estímulo doloroso ter cessado é sinal que as vias do processamento doloroso estão alteradas na pele, nos músculos, na  medula, que leva as informações ao cérebro, além do próprio cérebro.

O nosso sistema interno, que tem a capacidade de reduzir a percepção da dor, pode estar alterado total ou parcialmente, gerando respostas mal adaptativas  que irão afetar todo o organismo. Esse processo se dá pela desregulação dos níveis de neurotransmissores que são responsáveis pela sensação de bem estar, alterando os níveis hormonais e diminuindo nossa imunidade.

Com o esgotamento do sistema interno que inibe a dor, surgem sintomas como fadiga, dificuldade de concentração, atenção, memória e alterações do sono que geram ansiedade, angústia e depressão.

Muitas vezes as pessoas com dor crônica podem sentir dor em resposta a pequenos estímulos que normalmente não causariam dor como, por exemplo, o toque suave de uma mão ou dos tecidos de sua própria roupa. Hoje sabemos que a dor pode ocorrer na ausência de qualquer estímulo. O cérebro, por si mesmo, pode gerar a sensação de que existe dor.

Algumas pessoas podem ter maior facilidade do que outra em desenvolver doenças que se manifestam cronicamente através da dor, por influência do ambiente em que vivem e por influências genéticas reconhecidas por histórias familiares semelhantes.

As pessoas ansiosas, perfeccionistas ou aquelas com trabalhos estressantes, com problemas emocionais importantes, são mais predispostas a desregular o sistema interno de controle da dor, que nesses casos já estará sobrecarregado e vulnerável.

Quem já não sentiu dor no pescoço ou nas costas após um dia de trabalho exaustivo? Quem não sentiu uma dor inexplicável após um acontecimento emocional pesado?

As regiões do cérebro que são responsáveis por gerenciar como sentimos dor são as mesmas que controlam nosso estado de humor. Ou, pensando de outra forma, as áreas que controlam nosso estado de humor serão as mesmas que dirão como sentimos nossas dores.

Pesquisas com ressonância magnética demonstram que a área do cérebro que processa a dor física é a mesma que processa a dor emocional da rejeição.

A perda de um amor ou trabalho pode, portanto, causar uma verdadeira dor física, seja ela mínima ou potencialmente perigosa para algum órgão interno. Quem já não ouviu falar em úlcera de estresse?
Como podemos tratar?
Como a Acupuntura Neurofuncional pode auxiliar no tratamento?

As mudanças que ocorrem em nosso corpo físico e mental podem ser detectadas por métodos médicos científicos, clinicamente aprovados e que fornecem um verdadeiro mapa das nossas disfunções.

Contraturas musculares, alterações na cor e textura da pele em determinadas regiões, podem sinalizar alterações químicas importantes que acontecem na dor crônica.

Hoje a ciência comprova o grande efeito regulador que a acupuntura possui sobre as regiões cerebrais que controlam a dor, as emoções, os níveis hormonais e o sistema imunológico.

Interessantemente, as áreas do cérebro que são ativadas pela acupuntura são as mesmas em que a hipnose e a meditação atuam.

Exercícios que ajudam a realizar uma respiração harmoniosa e controlada, como ioga e pilates, são de grande ajuda na dor crônica.

Fonte: www.acuneuro.com.br


12 de mar de 2014

Mapa Reflexológico do Rosto

Os meridianos de cada órgão passam por diferentes partes do nosso rosto e quando não estão transmitindo a energia vital de forma equilibrada deixam marcas. 

 Olhe atentamente as imagens abaixo, e observe, através do seu rosto, se você estiver com algum órgão do corpo fora do equilíbrio, à respectiva área será refletida seja por uma leve dor, mancha, alteração da cor da pele, machucado ferimento.

Observe a área correspondente ao órgão no mapa reflexológico facial abaixo:








6 de mar de 2014

Mapa Reflexológico dos Pés

Em nossos pés estão impresso como anda todo o funcionamento de nosso corpo... Olhe atentamente as imagens abaixo, e observe, se você estiver com alguma área do corpo enfermo, a respectiva área será refletida em seus pés, seja por uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc.; basta apenas olhar a área correspondente ao órgão no mapa reflexológico abaixo:


OBS: Se estiver em seus pés uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc., e seu órgão não estiver refletindo, então considere como um possível acontecimento futuro...







Mapa Reflexológico das Mãos



Em nossas mãos estão impresso como anda todo o funcionamento de nosso corpo... Olhe atentamente as imagens abaixo, e observe, se você estiver com alguma área do corpo enfermo, a respectiva área será refletida em suas mãos, seja por uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc.; basta apenas olhar a área correspondente ao órgão no mapa reflexológico abaixo:

OBS: Se estiver em suas mãos uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc., e seu órgão não estiver refletindo, então considere como um possível acontecimento futuro...









2 de mar de 2014

Alimentos que abaixam o colesterol


12 de jan de 2014


11 de jan de 2014

Mecanismo de ação da Acupuntura



Há duas maneiras de explicar o mecanismo de ação da acupuntura, que consiste na inserção de agulhas em determinados locais (pontos de acupuntura), levando-se em conta a visão “oriental” ou “ocidental”:
- Oriental ou energética: a estimulação dos pontos de acupuntura nos Canais de Energia visa harmonizar o fluxo de energia para os Órgãos (Zang) e Vísceras (Fu), distribuindo energia para a matéria de maneira adequada, pois excesso ou diminuição (até o esgotamento) de energia significa mau funcionamento dos mesmos;
- Ocidental ou científica: a inserção de agulhas causa diferença de potencial elétrico nas fibras nervosas A-delta e C, conduzindo o estímulo para o sistema nervoso, por via humoral (experimentalmente comprovada pelo mecanismo de circulação cruzada) ou através da liberação de substâncias como endomorfinas, encefalinas, betaendorfina, responsáveis pela analgesia sendo que o estímulo da acupuntura ocorre em nível cerebral.

A compreensão do mecanismo de ação da acupuntura tem ocorrido graças às pesquisas realizadas, especialmente no Ambulatório de Acupuntura do Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura da UNIFESP, que visam seu esclarecimento.

Fonte: CenterAo

8 de jan de 2014

Você sabia que existe cefaleia (dor de cabeça) por USO EXCESSIVO DE MEDICAMENTO?



 Cefaleia por uso excessivo de medicamento (CEM) é uma cefaleia crônica induzida por consumo de analgésicos ou outros fármacos para migrânea aguda ou para a cefaleia do tipo tensional.

Pode ocorrer se o medicamento é utilizado em mais de 10 a 15 dias por mês. A interrupção do uso das medicações é a única maneira de resolver esta cefaleia.
Em centros especializados, dentre os pacientes com cefaleia diária, CEM é uma das causas mais frequentes sendo tal diagnóstico considerado em cerca de 50% dos casos.

Quais são as características da CEM?
A cefaleia bilateral é mais frequente (comparada com a migrânea, mais unilateral). A dor é em aperto ou em pressão não sendo tipicamente pulsátil, como na migrânea.

Quais são as consequências do uso excessivo de medicamentos por cefaleia?
É descrito que as consequências da cefaleia são maiores em pacientes com CEM, o que leva a uma pior qualidade de vida. Pacientes com outros quadros de dor (dor crônica musculoesquelética, doenças reumatológicas) também podem desenvolver cefaleia por uso excessivo de medicamentos devido à ingestão diária de analgésicos, especialmente se tais pacientes já tiverem história de cefaleia primária. Na maioria dos casos, o abuso de medicamento não é uma drogadição/vício a determinada substância.

O que precisa ser feito?
As diretrizes atuais sugerem a retirada, imediata ou gradual, do analgésico em uso excessivo. Para os pacientes em uso excessivo de opióides, benzodiazepínicos ou barbitúricos é recomendada a suspensão da medicação em abuso em regime de internação, em centros com acompanhamento multidisciplinar, pelo efeito psicotrópico destas substâncias.
 Tratamento preventivo farmacológico no caso da migrânea crônica se esta for a cefaleia primária subjacente. Pode haver melhora da eficácia da profilaxia farmacológica, neste caso, com a retirada da medicação em uso abusivo.


O Tratamento não medicamentoso da cefaleia pode ser feito de forma eficaz com Acupuntura.

7 de jan de 2014

Síndrome do Túnel do Carpo


A chamada Síndrome do Túnel do Carpo é a manifestação clínica decorrente da compressão de um nervo periférico mais comum no ser humano. Ocorre em  pessoas que executam trabalhos repetitivos, como a digitação em teclados de computadores, os carpinteiros, os que usam instrumentos vibratórios ou que operam máquinas pesadas.

Ocorre mais em mulheres, não sendo incomum  sua manifestação inclusive durante a gravidez. Geralmente acomete um dos punhos e mão, provocando dor e formigamento, sensação de choque ou queimação, que se manifestam de forma mais intensa durante o período noturno, quando  despertam o paciente. Ocorrerão outros sintomas de dor ou desconforto que poderão manifestar-se  em locais distantes, como o cotovelo ou o ombro.

A compressão do nervo que provoca essa síndrome pode, na verdade, ocorrer em muitos locais de seu trajeto por onde passa no membro superior, mas na maioria das vezes sua compressão ocorre na linha que divide o punho da mão, logo abaixo do local onde colocamos o relógio de pulso. O seu diagnóstico exige exames neurofisiológicos que o médico assistente irá solicitar.

O seu tratamento pela acupuntura é feito pela aplicação de agulhas cujo objetivo é a normalização  da função do nervo acometido e dos músculos que são inervados por ele, e também auxiliar na normalização das atividades cerebrais que controlam a atividade daquele nervo.

A soma dos efeitos desses estímulos podem auxiliar na redução da dor e dos sintomas sensitivos como a dormência e o formigamento. Outros benefícios considerados secundários ao estímulo produzidos com as agulhas incluem a melhora da qualidade do sono, a redução da ansiedade e a melhora do humor.


Obrigado 2013, a todos e ...


11 de dez de 2013

Ansiedade e álcool


Uma das principais causas do consumo de álcool e de outras drogas é a ansiedade. Os usuários usam esse recurso como uma forma de narcotizá-la junto com seu sofrimento interior.






Para resolver esse problema temos que começar da base: tratar a ansiedade do paciente. A MTC recomenda técnicas de meditação que aliviam a ansiedade associado a técnicas terapêuticas complementares como psicoterapia, acupuntura, homeopatia, fitoterapia, hipnose, coaching, etc.

Para a MTC o processo de ansiedade é causado pela expansão indevida da energia yang do fígado. Através da acupuntura, nutre-se a energia yin do fígado e drena-se o excesso de energia yang. Isso melhora sua função hepática e reduz o nível de estresse do indivíduo.
Muitas vezes a estagnação do ch’í (energia vital) do fígado é a cólera ou a raiva estagnada, quando a pessoa não consegue elaborar o processo de perdão, gerando assim a mágoa.

A mágoa e a expectativa funcionam como estimulo ao álcool e outras drogas. Portanto, estruturar a mente do individuo é de vital importância para afastá-lo da dependência. Fazer acupuntura pode melhorar a função do fígado assim como alguns chás como picão, alcachofra, alfavaca e quebra-pedra.

Para tomá-los, coloque dois punhados de cada em 1 litro de água e tome durante o dia.
Embora esses chás favoreçam a função fisiológica do fígado, o ponto crucial é tratar da origem do problema.


21 de nov de 2013

Acupuntura e seu poder contra dores e transtornos emocionais


Acupuntura e Cérebro



Se ainda havia algum ocidental desconfiado que, a exemplo de São Tomé, precisava ver para crer o resultado de uma porção de agulhas finíssimas sobre o corpo, ele provavelmente deixará suas suspeitas de lado ao saber o que andam desvendando neurocientistas ao redor do globo. Na Inglaterra, uma equipe da Universidade de York acaba de exibir, por meio de imagens de ressonância magnética, que uma espetada em um ponto da mão reduz a atividade de áreas do cérebro que regem a percepção da dor. Enquanto isso, nos Estados Unidos, um experimento com camundongos da Universidade de Rochester endossa o efeito analgésico da técnica oriental ao provar que ela estimula a liberação de uma molécula, a adenosina, responsável por aliviar o desconforto. São provas, vistas a olho nu ou sob a lente do microscópio, que permitem à ciência deste canto do mundo reconhecer o que os sábios chineses já apregoavam sobre o método que ganha milhões de pacientes no Brasil e no resto do Ocidente.
Para botar no papel todas as indicações da acupuntura, seria preciso preencher um extenso pergaminho da China antiga. As agulhas, é claro, não são uma panaceia, mas surpreendem até os olhos céticos. Em uma experiência com ratos que sofreram lesões na coluna vertebral da Universidade Kyung Hee, na Coreia do Sul, por exemplo, os animais que foram submetidos às espetadas se recuperaram e voltaram a andar mais cedo do que os bichos livres das picadas. A acupuntura coibiu inflamações e impediu, assim, a destruição progressiva de células nervosas da coluna. É esse poder anti-inflamatório, aliás, que garante à terapia lugar de destaque no combate a asma, dores crônicas… 

Outra virtude da técnica é equilibrar as emoções, debelar a ansiedade e o desânimo e reforçar o adeus aos vícios. Ao modular a ação da dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, o método ajuda a suprir a necessidade da droga.

20 de nov de 2013

Esporão de Calcâneo – Tratamento com Acupuntura


Os pés, partes fundamentais para a sustentação corporal e para a locomoção, constituem estruturas complexas do corpo humano, formadas por diversos ossos, músculos, tendões e bursas. Além disso, os pés possuem formato anatômico, com um arqueamento na sola, o que favorece a distribuição do peso corporal, o equilíbrio e a deambulação (ato de caminhar ou correr). 
Se os calcanhares são expostos a impactos excessivos ou a peso em demasia (obesidade), ou ainda submetidos a maus-hábitos, como o de pisar de forma incorreta no solo, pode ser desencadeada uma formação óssea anormal.
O esporão de calcâneo é uma exostose (crescimento ósseo anômalo) que se origina no ponto de inserção da fáscia plantar na tuberosidadesub-calcânea. A melhor identificação deste tipo de exostose se faz pelo nome de esporão subcalcâneo, para diferenciá-lo do esporão retrocalcâneo, que se forma na inserção do tendão de Aquiles.


É comum diagnosticar o Esporão de Calcâneo por meio de exame físico. A sintomatologia básica é o quadro de dor na região inferior / lateral do calcâneo, o que impede, de forma muitas vezes severa, o caminhar normal. A dor se manifesta mais intensa principalmente pela manhã, ao acordar e colocar o pé no chão, ou ao iniciar a deambulação, após permanecer sentado por algum tempo. A ocorrência de fasciteplantar concomitante é freqüente, o que leva o paciente a apresentar dor em toda parte inferior do pé.
Mas a existência de esporão de calcâneo assintomático (sem dor) é possível. O aparecimento de sintomatologia dolorosa pode ser desencadeado por trauma.
Na prática clínica, realizo tratamento com Acupuntura utilizando agulhas e moxabustão em pontos fora de meridianos principais, localizados no calcâneo. 

Os resultados são altamente satisfatórios com melhora acentuada da DOR (acima de 80%) percebida pelo paciente já na primeira sessão. O curso de tratamento é curto .

13 de set de 2013

Mecanismos biológicos dos benefícios da acupuntura

Estudo mostra mecanismos biológicos dos benefícios da acupuntura





A acupuntura é largamente utilizada para tratar inúmeras enfermidades, entre elas o estresse crônico.

Embora os mestres chineses que criaram a acupuntura falem em "canais de energia" do corpo, os médicos atuais estão tentando descobrir a "materialidade" dos bons resultados da prática milenar.

Segundo eles, compreender os mecanismos moleculares disparados pela acupuntura, que resultam na eliminação do estresse e das dores, pode ajudar a aumentar a sua aceitação entre a medicina acadêmica, voltada à alopatia.

"Muitos praticantes de acupuntura observam que essa prática milenar reduz a tensão nos seus pacientes, mas existe uma falta de prova biológica de como ou por que isso acontece," justificam Ladan Eshkevari e seus colegas da Universidade Georgetown (EUA).

Para tranquilidade geral, segundo o estudo, "nós estamos começando a entender o que ocorre em nível molecular que ajuda a explicar os benefícios da acupuntura".

Bases moleculares da acupuntura

O estudo consistiu em uma série de experimentos em cobaias para testar suas reações fisiológicas à eletroacupuntura - "Eu usei a eletroacupuntura porque assim eu podia ter certeza de que cada animal estava recebendo a mesma dose do tratamento," disse a pesquisadora.

No tratamento, foi usado um ponto chamado "Zusanli", localizado abaixo do joelho, que alivia uma variedade de condições, incluindo o estresse crônico.

A pesquisadora mediu os níveis sanguíneos de hormônios secretados pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), que inclui o hipotálamo - as interações entre esses órgãos controlam as reações ao estresse e regulam a digestão, o sistema imunológico, o humor e as emoções, a sexualidade e o armazenamento e o dispêndio de energia.

Ela também mediu os níveis de NPY, um peptídeo secretado pelo sistema nervoso simpático, associado à resposta "fugir ou lutar" frente a uma ameaça, resultando na constrição do fluxo sanguíneo para todo o corpo, exceto para o coração, pulmões e cérebro, os órgãos mais exigidos para reagir ao perigo.

"Verificamos que a acupuntura eletrônica bloqueia elevações crônicas, associadas ao estresse, dos hormônios do eixo HPA e da rota simpática NPY," relata Eshkevari.

Segundo ela, o estudo vem se somar a um crescente conjunto de evidências que podem ajudar a convencer os mais céticos sobre os efeitos benéficos da acupuntura.





Fonte: http://www.diariodasaude.com.br


Ocorreu um erro neste gadget