Acupuntura Médica Barão Geraldo

Acupuntura Médica Barão Geraldo
Acupuntura Médica Barão Geraldo
ACUPUNTURA PARA DOENÇAS CRÔNICAS E DOENÇAS AGUDAS

DOR EM GERAL




11 de mar de 2016

ALERGIAS e MEDICINA CHINESA


No tratamento da alergia, a Medicina Chinesa procura a eliminação permanente da doença e não apenas atenuar os sintomas.
De acordo com a Medicina Chinesa, vários fatores patogénicos estão envolvidos nos casos de alergia, sendo o mais determinante o fator “vento frio” no meridiano do pulmão. O frio posteriormente transforma-se em calor provocando estagnação do chi, do sangue e mucosidade.
Por vezes o excesso de mucosidade é provocado por vazio de chi no baço.
A estratégia da Medicina Chinesa para o tratamento das alergias passa por, para além da eliminação dos sintomas, tratar o chi do pulmão, repelindo o “vento” e fortalecendo o sistema defensivo do corpo.

 Check up para tratamento de Alergias

Antes de iniciar o tratamento da alergia o Especialista em Medicina Chinesa efetua um rigoroso diagnóstico energético utilizando técnicas específicas que passam pela interpretação de sintomas, de aparências e de sinais subtis do corpo.
Alguns indicadores são obtidos a partir da observação da língua, face, olhos, pulso e também do corpo
Nos pacientes com alergias, normalmente são identificadas deficiências no chi do pulmão e do baço.
O chi do pulmão é responsável pelo funcionamento do sistema respiratório, enquanto que o do baço controla o transporte de líquidos no organismo, entre os cais o muco que se pode alojar nos pulmões.
Com a identificação da origem e tipo de desequilíbrio, o Especialista em Medicina Chinesa estabelece o programa terapêutico adequado e inicia, na mesma sessão, o tratamento da alergia.

Programa terapêutico para o tratamento de Alergias



No tratamento da alergia com a Medicina Chinesa, o terapeuta faz uso de um conjunto abrangente de disciplinas, garantindo a complementaridade do processo, sendo os métodos mais utilizados a fitoterapia, a dietética e a acupuntura.
Existem produtos de fitoterapia que visam fortalecer o chi do pulmão ou do baço para impedir a formação excessiva de muco.
A dietética tem um papel determinante no tratamento das alergias, sobretudo nas alergias sazonais. Devem ser evitados doces, lacticínios, iogurtes e alimentos frios que contribuem para a formação de muco nos pulmões. As sopas, verduras e grãos cozidos facilitam a digestão, prevenindo a formação de muco.
A acupuntura desempenha também um papel relevante no tratamento das alergias, existindo técnicas e protocolos quer para o alivio imediato, quer para a eliminação da condição alérgica.
Existem técnicas de acupuntura muito recentes como a NAET (Nambudripad's Allergy Elimination Technique) em que o paciente está exposto á substância causadora da alergia em simultâneo com o tratamento de acupuntura.
No tratamento da alergia, o número de sessões é variável, dependendo da gravidade dos sintomas e da resposta do organismo ao programa terapêutico estabelecido.
Apesar de o enfoque ser a erradicação definitiva da alergia, na maior parte dos casos, regista-se diminuição dos sintomas logo após a primeira consulta.

Vantagens da Medicina Chinesa no tratamento das alergias.

Sem químicos.
Sem efeitos secundários

Efeitos permanentes

23 de fev de 2016

As agulhas como armas da saúde


Vista antigamente como terapia alternativa, a acupuntura conquistou espaço e mostrou seu valor até mais além do tratamento de dores
Causava dúvida, uns bons anos atrás, quando uma pessoa se dispunha a ser picado por agulhas imensas e afiadas com o propósito de melhorar alguma questão de saúde. A prática da acupuntura ainda era cercada de incertezas tanto sobre a efetividade quanto sobre o medo de sentir dor em vez de tratar a dor.

Hoje em dia, porém, o uso dessa técnica milenar fundamentada na medicina chinesa é reconhecido e aceito por muito mais médicos e pacientes, inclusive já faz parte da rotina do Sistema Único de Saúde (SUS) – e vem avançando em áreas diversas, como no auxílio contra efeitos da quimioterapia, por exemplo, desde o pós-operatório às possíveis náuseas e vômitos do tratamento contra o câncer.


A acupuntura, em essência, envolve a inserção de agulhas extremamente finas através da pele em pontos estratégicos do corpo. A técnica é mais comumente usada para tratar a dor – ainda que a medicina tradicional na China explique a acupuntura como uma forma de equilibrar o fluxo de energia (conhecido como chi) que flui através de caminhos (meridianos) pelo organismo.

Com a inserção de agulhas em pontos específicos ao longo desses meridianos, os praticantes de acupuntura acreditam que seu fluxo de energia é reequilibrado – e sensações de dor e desconforto são atenuadas e mesmo curadas.

Atualmente, uma variedade de doenças e condições clínicas é tratada com a acupuntura (sendo foco principal ou auxiliar), com o encaminhamento de médicos de especialidades diversas.

Dores de cabeça, incluindo tensão e enxaqueca, têm muitos “gatilhos” diferentes; mas quase toda dor é aliviada com sessões de acupuntura. Mesmo aspectos da saúde feminina têm, nas agulhas, boas aliadas, desde o alívio da tensão pré-menstrual até a regularização dos ciclos.

“Há pacientes com dores e questões físicas com causas emocionais que se beneficiam muito da acupuntura, como quadros de gastrite, hipertensão, bruxismo [o ranger de dentes] e problemas de fertilidade”, explica o infectologista e acupunturista Marco Broitman.

Segundo o especialista, os riscos da acupuntura são baixos: o mais importante é procurar um profissional certificado para essa prática.  “Possíveis efeitos colaterais e complicações incluem alguma dor ou hematomas nos locais mais sensíveis às agulhas.”

Acupunturistas licenciados, é preciso saber, utilizam agulhas descartáveis e estéreis.

Raramente existem contraindicações para o uso da acupuntura. Apenas pessoas com distúrbios hemorrágicos ou doenças de pele muito graves, que impeçam o acesso aos pontos de aplicação, têm impedimento. Estar grávida também demanda um profissional especializado – porque alguns tipos de acupuntura estimulam o trabalho de parto, o que poderia resultar em um nascimento prematuro. Mas é justamente o grupo das gestantes que, hoje, mais se beneficia da acupuntura.

“Nesse caso, a técnica é usada para aliviar o desconforto do enjoo nos primeiros meses de gravidez e, mais adiante, para aliviar a sensação de azia e das dores lombares, muito comuns com o aumento do peso no abdômen”, afirma o acupunturista.

O estímulo ao nascimento do bebê pode mesmo ocorrer – e até ser uma técnica válida quando já se avança pelas 38 a 40 semanas de gestação e não há sinal do parto.

“Até mesmo em quadros leves de depressão e ansiedade, além da insônia, a acupuntura se mostra um tratamento eficiente”, acrescenta Marco Broitman.

O número e a periodicidade das sessões necessárias variam de acordo com cada paciente e a doença a ser tratada. Quadros mais agudos já podem mostrar melhora numa primeira aplicação; dores crônicas, por exemplo, podem pedir tratamentos mais prolongados.

“O importante é saber que, nas finas agulhas, os pacientes têm não só alternativa, mas uma arma poderosa para o bem-estar”, finaliza o especialista.

Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP



2 de jan de 2016

Síndrome do Pânico



A palavra Pânico é um termo de origem grega. Segundo a mitologia, existia um deus chamado Pan que aterrorizava as pessoas. A Síndrome do Pânico, presente em grande parte da população, causa sintomas como angústia, palpitações, pressão no peito, falta de ar, as mãos ficam geladas e uma sensação de descontrole. De acordo com relatos de pacientes que sofrem desse mal, a morte parece iminente.



A síndrome se caracteriza por um período de medo e desconforto que começa subitamente, com pico em 10 minutos, podendo durar entre 1 a 2 horas, até 4 horas. Uma sensação de perigo iminente e grande ansiedade para fugir a estas sensações, completam o quadro. Para se caracterizar o pânico em diagnóstico, é preciso que pelo menos 4 sintomas dos 13 conhecidos estejam presentes. São palpitações, dor ou desconforto torácico, sudorese, náuseas ou desconforto abdominal, tremores, tonturas ou vertigens, dispneia, despersonalização, sensação de asfixia, medo de perder o controle ou enlouquecer, medo de morrer, parestesias ou formigamentos nas extremidades e calafrios ou ondas de calor.

Existem algumas condições clínicas que desencadeiam o pânico. São quadros de hipertireoidismo, hiperparatireoidismo, disfunções do labirinto, convulsões, condições cardíacas como, arritmias, taquicardias e outras. Além disso, há condições induzidas por drogas, como cocaína, anfetamina, cafeína, maconha, abstinência alcoólica.

A Acupuntura é bastante usada nos casos de síndrome do pânico, pois regula o organismo controlando a ansiedade e evitando que o quadro aconteça. Além disso, todos os sintomas associados citados acima podem ser melhorados, já que a acupuntura trata o organismo como um todo. A acupuntura proporciona também um relaxamento e alivio de tensões, melhorando as condições clinicas do paciente.


1 de jan de 2016

Feliz 2016

Que na Teia da Vida logremos atingir mais Saúde e Abundância com fios de Amor Tolerância e Justiça de Verdade.

21 de dez de 2015

O sono e o emagrecimento



Nos dias atuais temos dormido cada vez mais tarde. A privação do sono está diretamente ligada à dificuldade para emagrecer. O sono é uma necessidade básica e fundamental para que tenhamos uma vida saudável 

É durante o sono que o nosso corpo se recupera dos desgastes do dia, e é quando o nosso cérebro classifica e armazena nossas memórias. Quando o sono é insuficiente ele gera inúmeros desequilíbrios hormonais como alteração dos reguladores de apetite, aumento das taxas de incidência de diabetes e hipertensão, redução de vigor físico podendo causar envelhecimento precoce, maior susceptibilidade em contrair infecções, irritabilidade, frustração, dificuldade de concentração e sonolência.

Poucas horas de sono está relacionado ao aumento de peso e excesso de gordura corporal. Estudos demonstram que sono inadequado altera os níveis do hormônio cortisol que é liberado em excesso, favorecendo o ganho de peso e acumulando gordura abdominal. Com o cortisol alto o corpo entende que está em perigo, sofrendo "ameaça" e envia mensagens para poupar energia e estocar gordura 👀 Assim estimulam a produção dos adipócitos (células que armazenam gordura). Poucas horas de sono vão diminuir a produção do hormônio melatonina, que irá causar níveis baixos do hormônio leptina que é responsável pela sensação de saciedade, e vai estimular altos níveis de grelina, hormônio responsável pela fome. O que isso significa? Que a pessoa que dorme mal tem seus hormônios alterados e dessa forma aumenta a fome e vontade de comer guloseimas e consequentemente diminui a busca por alimentos saudáveis e pouco calóricos. Como a saciedade é diminuída o indivíduo fica com fome o tempo todo e gera compulsão alimentar. Alimentos que estimulam o sono são aqueles que levam ao aumento da serotonina e da dopamina, que são hormônios responsáveis pela sensação de relaxamento cerebral e que irão induzir a formação de melatonina. Sentir fome ou comer em excesso também pode atrapalhar o sono. Por isso bem além de usar um "tarja preta" para insônia você precisar tratar o intestino. Isso mesmo: 80% de nossa serotonina que produz melatonina é produzida no intestino.

19 de dez de 2015

Fibromialgia e Fadiga Crônica


Sintomas do Stress


18 de dez de 2015

O NATAL e as festas de FIN DE ANO: OS EXAGEROS NA COMIDA




É natal, é uma ocasião cristã, onde esperamos o renascimento, a paz e a fraternidade, uma época única, mas dentro desse contexto além dos gastos com presentes, nos deparamos sempre com uma mesa farta e guloseimas simplesmente irresistíveis.
 Muitos males desses excessos irão nos acometer.

Má digestão ou dispepsia refere-se a problemas gastrointestinais que provocam grande desconforto físico levando a complicações futuras se não diagnosticadas e tratadas.

SINTOMAS
Os sintomas incluem dor no estômago, azia, flatulência (gases), arrotos, sensação de estomago cheio, enjoos, dores abdominais, vômitos, sonolência após as refeições, sensação de inchaço e desconforto.
CAUSAS
Pode ser causada por uma doença do trato digestivo, como úlcera ou refluxo gastroesofágico, mas na maioria dos casos é por excesso de comida, ingerir muito liquido durante as refeições, comer rápido, comer gordura demais, alimentar-se durante situações estressantes. Fumar, beber muito álcool e usar medicamentos, podem piorar o quadro.

QUEBRA DE NUTRIENTES DURANTE A ALIMENTAÇÃO

Milhares de bactérias vivem no intestino grosso e não nos causam mal algum. No entanto as bactérias existentes necessitam de carboidratos e açucares para sobreviverem. No processo da quebra desses nutrientes elas geram gases como o hidrogênio, dióxido de carbono e metano. Em geral estes gases são expelidos sem maiores complicações, mas devido à quantidade e qualidade do alimento ingerido irá ocasionar a flatulência ou excesso de gases.
A FLATULÊNCIA
Com relação à flatulência é normal o organismo produzir gases, mas poderá ocorrer em situações determinadas uma produção maior de gases devido à alimentação, onde ocorrerão situações até embaraçosas, onde comer rápido demais e não mastigar direito os alimentos provocarão tudo isto. O mal cheiro nas fezes e nos gases, serão ocasionados devidos a bactérias presentes no cólon. Essas bactérias estão localizadas nos alimentos não digeridos.

TRATAMENTO POR ACUPUNTURA

Segundo a medicina tradicional chinesa a má digestão afeta diretamente o baço e provocam estagnação de energia no estômago. Também este processo poderá afetar o fígado com bloqueios e excessos de energia. Tudo isto se estiver acompanhado de distúrbios emocionais como raiva, preocupação, magoa e ansiedade tudo irá piorar.

A acupuntura é extremamente eficaz trazendo uma melhora quase imediata


Primeiros Cuidados após Ressaca e/ou Indigestão :

1. Use o primeiro de todos os remédios :água , tome muita água !



  2. Tome bebidas quentes e amargas (chá de boldo , carqueja)
  3.Tome suco de limão puro de preferência
  4.Mantenha os pés aquecidos , coloque meias de algodão mesmo no verão


Dra.Graciela Alicia Martínez

Refluxo Gástrico I


Esofagite de refluxo ou refluxo gástrico é um dos problemas mais comuns, no aparelho digestivo. Pelas estatísticas, 60% da população sofre do incomodo que pode causar dor estomacal, azia, dor no peito, tosse crônica ou faringite frequente. Pode atingir desde um bebe recém-nascido até os mais idosos, mas as causas são muito diferentes entra as faixas etárias.


Nos recém-nascidos a causa é natural para a idade. Surge de uma imaturidade do esfíncter do esôfago, na junção com o estômago. O esfíncter é um anel muscular que se abre, no final do esôfago, quando desce algum alimento, e se fecha, automaticamente, após a passagem, para impedir que o alimento volte para o estômago. No bebe esse esfíncter está iniciando a sua função, e geralmente está franco ou insuficiente, para conter o alimento no estômago. Neste caso, ocorre o regurgitamento espontâneo do leite.

Como proceder:

1- Manter o bebe em posição vertical, logo que ingira algum leite ou água.
2- Quando deitado, manter a cabeça mais elevada - travesseiro mais alto.
3- Manter aquecida a região do estômago, com roupa quente cobrindo o abdome, mesmo no verão.

Pela medicina chinesa, o calor acelera o amadurecimento do esfíncter esofágico e melhora as famosas cólicas, que causam muita dor e choro nos recém-nascidos.

No adulto a origem do refluxo está relacionada a três fatores básicos:
1- Hábitos alimentares
2- Mal funcionamento do fígado,
3- Hérnia de hiato.

µ No refluxo gástrico as causas principais são:

1- Hábitos alimentares inadequados

É comum as pessoas deitarem após as refeições. Esse procedimento pode causar o retorno do alimento para o esôfago, que não suporta o Ph baixo dos sucos estomacais. A regra principal é deitar somente 2 horas depois de terminada a refeição. Quando quiser descansar, e não tiver tempo para esperar as 2 horas de segurança, procure dormir numa posição quase sentada, para evitar o refluxo estomacal.

2- Mal funcionamento do fígado

Neste caso existe uma grande controvérsia. A medicina científica só define patologia hepática somente quando as transaminases estão fora da normalidade. Mas, pelo diagnóstico da medicina chinesa (pulso, língua, desejos alimentares, coloração da pele... etc.) pode-se diagnosticar a existência da disfunção hepática, mesmo que os exames laboratoriais insistam em indicar que está tudo bem. Alguns sintomas mais objetivos podem também serem observados como: boca amarga, dificuldade digestiva, insônia, irritabilidade emocional, vertigem, dores musculares e a fotofobia. A aversão à luz forte é um dos sintomas que está ligado aos distúrbios hepáticos.
Pois então vem a bomba principal: pela teoria chinesa, quando o fígado não funciona bem, tudo que chega ao estômago tende a voltar, ou seja, produzir refluxo em graus variados. Numa situação mais grave, gera refluxo violento, como o vômito. Numa disfunção moderada, o refluxo surge espontaneamente, mesmo que o paciente não esteja deitado. Ou seja, sentado ou na vertical, o refluxo pode aparecer a qualquer momento. Por fim, na disfunção hepática leve, pode não acontecer o refluxo, mas surgir náuseas antes ou depois das refeições.

3- Hérnia de hiato

A hérnia de hiato é o deslizamento de uma pequena parte do estômago que passa da cavidade abdominal para a cavidade torácica. Em outras palavras, a hérnia hiatal é o resultado final e maléfico causado pelo refluxo gástrico crônico.

Tratamento:

O tratamento mais comum, quando existe a hérnia de hiato, é a indicação cirúrgica. Contudo, existe um caminho melhor: o tratamento pela acupuntura.
Primeiro é preciso detectar em que fase o problema se encontra. Pelas etapas descritas anteriormente, é possível corrigir o refluxo, por exemplo, apenas pelos hábitos alimentares, ou pelo tratamento do fígado.
Nesses casos, pode-se melhorar a função hepática com uma dieta mais leve, livre de gorduras saturadas, com menos uso de carne e bebidas alcoólicas. Mas, se já existir a hérnia hiatal, acupuntura aplicada por um bom especialista, pode resolver o problema, e evitar a cirurgia.
Em todo caso, o mais importante é ficar atento aos hábitos alimentares. Mesmo se for o caso de optar pelo tratamento cirúrgico da hérnia hiatal, o paciente deverá cuidar da sua alimentação, e melhorar seus hábitos alimentares, porque o problema poderá voltar após a cirurgia.
Finalmente, para escolher o melhor caminho para tratar do refluxo gástrico é muito importante buscar ajuda de um médico especializado no aparelho digestivo. Após um diagnóstico adequado, se quiser fazer o tratamento pela abordagem da Medicina Tradicional Chinesa, sugiro então um bom medico acupunturista.
Pela acupuntura é possível curar o refluxo gástrico e a hérnia hiatal, sem cirurgia, e sem medicações alopáticas.

O paciente começa a melhorar após a terceira aplicação 

26 de out de 2015

Sentimentos e doenças


2 de set de 2015

Tratamento: anamnese e sessões



Por que a acupuntura trata com muito sucesso dores, problemas emocionais e psicológicos? Essa pergunta é fácil responder, pois
partindo do princípio de que nossas queixas são somatizações
do desequilíbrio Yin/Yang e dos 5 elementos, a acupuntura trata basicamente qualquer patologia.
   Para se chegar à melhor opção terapêutica que restabeleça o
equilíbrio do organismo o processo diagnóstico necessita identificar
pela observação e análise se o paciente sofre de Yin ou Yang,
se a queixa é de origem externa ou interna, do tipo fria ou quente,
se é úmida ou seca, pois tudo isso tem a ver com excesso de uma polaridade o que significa a diminuição de outra.
   Na primeira sessão com duração média de 2 horas, é feita uma anamnese que consiste em um bate-papo com o paciente onde serão analisadas suas queixas principais, comportamento, avaliação de língua e pulso. O diagnóstico é fechado em torno dos 5 elementos.
   O tratamento recomendado é de no mínimo dez sessões com duração de uma hora cada, que podem ser feitas de uma a duas vezes por semana. A pergunta mais freqüente é: Dez sessões são suficientes? Bem, há pacientes que recebem alta em dez sessões, outros com vinte ou mais, isso vai depender muito de seu metabolismo e da gravidade do quadro, lembrando que a acupuntura não tem nenhuma contra-indicação nem efeitos colaterais. Podendo fazer, o paciente só ganhará saúde.
   Durante cada sessão serão utilizadas de quatro a seis técnicas (acupuntura sistêmica, acupuntura auricular, acupuntura à laser, reflexologia, moxabustão e eletroacupuntura) determinadas pela anamnese. O paciente terá atenção exclusiva do profissional em um ambiente propício ao maior conforto e relaxamento, ouvindo músicas suaves e sons da natureza.


21 de abr de 2015

TPM e Acupuntura






Ansiedade, dor muscular, dor de cabeça, tontura, depressão, inchaço, ganho de peso, irritabilidade, mamas doloridas, hostilidade, instabilidade emocional, choro fácil, ondas de calor, esquecimento, insônia, pânico, fadiga, gases, desejo alimentar alterado, queda de motivação, ideias suicidas... Esses são apenas alguns dos 150 sintomas listados que a mulher pode sentir durante a tensão pré-menstrual (TPM), síndrome que se manifesta de quatorze a dois dias antes da menstruação e desaparece com a chegada do fluxo. Não bastassem as alterações físicas e emocionais, há as comportamentais, como confusão, indecisão e tendência a ficar estabanada. Os sintomas variam de uma pessoa para outra e podem ser diferentes no mês seguinte. Hoje, felizmente, é consenso entre os profissionais de saúde que os sintomas se referem a uma síndrome, que atinge o sexo feminino de forma diferente e merece atenção. Sabe-se que 30% dos casos de tensão pré-menstrual apresentam-se de forma moderada. Isto é, incomodam, mas o desempenho geral da mulher não é afetado. Estudos recentes mostram que 10% das mulheres apresentam sintomas de forma significativa. E em 6 a 8% as alterações são tão intensas que chegam a comprometer a vida cotidiana. Estes casos são classificados como disforia luteal. Todas as mulheres em idade fértil convivem com as alterações bioquímicas nos níveis dos hormônios sexuais - estrógeno e progesterona -, responsáveis pela instabilidade feminina no período. Mas só isso não basta para desencadear a síndrome. Sua manifestação depende de outros fatores, físicos e emocionais. A predisposição genética, por exemplo, é um deles. Isso quer dizer que o histórico de mães e avós permite predizer como serão os períodos menstruais de filhas e netas. A TPM também está relacionada ao estilo de vida contemporâneo. Estresse, tensões, dificuldades econômicas e de relacionamento, enfim, os altos e baixos do dia-a-dia agem como gatilho para detonar o problema da TPM em mulheres predispostas, o que explica a maior incidência da síndrome em quem vive nos centros urbanos. Outro fator que contribui para o agravamento do problema é a própria condição feminina nos dias de hoje. A mulher, sobretudo nas grandes cidades, luta para dar conta dos novos e múltiplos papéis sociais assumidos. Isso porque boa parte, além de atuar em um mercado profissional competitivo e globalizado, é responsável por afazeres e finanças familiares. Informação auxilia no controle da doença A informação correta sobre o funcionamento do corpo auxilia muito a mulher a compreender o que está se passando com suas taxas hormonais, em cada fase do mês. Adotamos este procedimento pedagógico com todas as pacientes, desde a adolescente que acaba de menstruar pela primeira vez até as mulheres na idade adulta, que chegam ao consultório relatando queixas relacionadas ao ciclo menstrual. O segredo para conviver em paz com o ciclo menstrual é ter plena noção de como o organismo responde aos hormônios. Nos quinze dias após a menstruação, há produção de estrógeno e a mulher se torna sedutora, se arruma mais, fica ativa e extrovertida. Em seguida, o corpo se prepara para gerar uma nova vida e os níveis de progesterona se elevam. Ela se sente, então, mais maternal, introspectiva, organizadora, cooperativa. A saída é não ir de encontro à sua natureza, mas se deixar conduzir por ela. Diversas possibilidades terapêuticas Hoje, para tratar a TPM, existem muitas opções terapêuticas. De acordo com o estilo de vida e as condições de saúde de cada paciente, podemos definir a melhor opção terapêutica para cada mulher.A Acupuntura é uma opção extremamente eficaz para enfrentar este período geralmente equilibrando o organismo para que estas dificuldades não aconteçam mais. 

10 de fev de 2015

Introdução à Acupuntura com Prof. Dr. Ysao Yamamura

28 de jan de 2015

Mobilização do Qi (energia) Mental




Considerando que as emoções participam e causam o adoecimento em diversos níveis, o Prof. Dr. Ysao Yamamura propôs uma nova abordagem, a Mobilização de Qi Mental. Esta nova abordagem tem conceitos embasados nos mais recentes conhecimentos da neurobiologia, da medicina neuro-psico-imuno-endócrina, que leva em consideração a integração da mente com o corpo em seu nível mais sutil, o subconsciente; aliando assim, a filosofia milenar da Medicina Tradicional Chinesa aos conhecimentos da Medicina Ocidental.
O ponto de partida da Técnica de Mobilização do Qi (Energia) Mental é o princípio do Yang e do Yin, um dos pilares não só da Medicina Tradicional Chinesa, como de todo o pensamento chinês. É fundamental haver harmonia e equilíbrio entre o Yang e o Yin. Ao Yang corresponde a energia (Qi) – que, no homem, é constituída pela mente (funções psiconeurais) – e ao Yin, a matéria – no homem, o corpo físico.

No ser humano, alguns autores consideram a matéria (corpo físico) como epifenômeno da mente – e não o contrário (a mente como epifenômeno do corpo físico), como é o conceito dos antigos chineses e da atual medicina mente-corpo. Por este conceito, a mente tem o controle sobre o corpo físico; se este adoecer, é porque a mente está doente ou em desarmonia. E o que causa a desarmonia da mente são as emoções: quanto mais reprimidas forem, tanto pior. Por isso, a Técnica de Mobilização do Qi (Energia) Mental promove uma nova abordagem das emoções do passado para propiciar o processo de cura no presente.

Fonte:http:www.center-ao.com.br/qi-mental/20/mobilizacao-do-qi-mental

23 de jan de 2015

Informações gerais sobre Acupuntura





Acupuntura é a prática fundamental da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), usada há mais de 4000 anos no Oriente e agora difundida no Ocidente. Os fundamentos da Acupuntura têm comprovação científica no Brasil e a prática médica está entre as 50 especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) e pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

A técnica se baseia em energias que percorrem o corpo. Esses trajetos, - meridianos ou canais de energia -, passam pelos órgãos e vísceras e se exteriorizam na pele e estruturas próximas, como, tecido subcutâneo, músculos, tendões e outras.

Nos trajetos dos meridianos foram mapeados pontos, que podem ser alcançados por agulhas, permitindo que sejam estimulados ou sedados, conforme o caso, para desbloquear a passagem da energia e permitir sua circulação e distribuição pelo organismo. Ficará a critério do médico acupunturista, selecionar e fazer a combinação dos pontos mais adequados para colocação das agulhas no paciente, de acordo com as desarmonias e características de cada indivíduo.

Abaixo, a relação de formas complementares para agir sobre a energia dos meridianos. Pode-se usar agulhas em micro sistemas, como crânio, orelha, mãos, e outras áreas ou não usar agulhas mas outros instrumentos.

• Craniopuntura - É a aplicação das agulhas na região do crânio; esta região do corpo apresenta muitos canais de energia que podem ser acessados pelas agulhas, com excelentes resultados para o paciente.

• Aurículo-Acupuntura - Ë a aplicação das agulhas na região das orelhas; são utilizadas agulhas menores devido à região ser mais sensível. Excelente acesso para tratamento de dores em diversas localizações do corpo. São utilizadas sementes ou pequenas esferas nos pontos auriculares por alguns dias com o objetivo de ampliar a duração do efeito da Acupuntura.

• Moxabustão - Aplicação de calor com a moxa, que consiste em um bastão geralmente feito de algodão e uma planta medicinal prensada e seca, em geral a Artemísia vulgaris, o qual é aceso em uma de suas extremidades e aproximado do ponto que se quer tratar, a uma distância que permita aquecer a pele mas nunca queimar. A moxaterapia pode ser feita diariamente em casa, intensificando o efeito das aplicações das agulhas.

• Eletroacupuntura - Aplicação de pequena corrente elétrica, geralmente nas agulhas, que reforça o efeito da Acupuntura

• Laserterapia – Aplicação de radiação luminosa polarizada, que intensifica, ou em certos casos até substitui a aplicação de agulhas.

• Ventosas – Aplicação de campânulas de sucção a vácuo na pele, para produzir pressão interna negativa, descongestionando a energia e o sangue.
Embora seja indicada para dores, a Acupuntura, como uma especialidade médica, pode tratar uma grande variedade de doenças

• Músculo-esqueléticas – Dores de coluna (dorsalgia, lombalgia) e de joelho, ciática, ombro e cotovelo doloroso, bursite, tendinite, artrite, torcicolo, fibromialgia, dor da articulação temporomandibular (ATM), dor no calcâneo, traumatismos, lesões por esforços repetitivos (LER/DORT).

• Digestivas – Gastrite, refluxo gastroesofágico, azia, constipação intestinal, intestino irritável diarréico, enjôos.

• Respiratórias – Bronquite, asma, rinite, sinusite.

• Neurológicas – Enxaqueca, cefaléias em geral, vertigem e zumbidos, seqüelas de acidente vascular cerebral, paralisias faciais, neuralgia do trigêmeo, dores dentárias, neuralgias intercostais, formigamentos.

• Psíquicas – Ansiedade, depressão, insônia, síndrome do pânico, estresse.

• Ginecológicas – Tensão pré-menstrual (TPM), distúrbios menstruais, corrimentos genitais, sintomas de menopausa.

• Urológicas – Sintomas prostáticos e urinários

• Cardiovasculares – Hipertensão arterial, palpitações.

• Endócrinas – Obesidade.

• Dermatológicas – Urticária, eczemas, psoríase.

• Diversas – Tabagismo, gripe e resfriado, aumento da resistência imunitária em geral.

A Acupuntura aplicada por médico assegura que não está sendo tratado apenas o sintoma, mas também as doenças energéticas que são diagnosticadas e que são a base dos quadros clínicos apresentados pelo paciente.


Fonte: Corpo médico da AMBA

4 de jan de 2015

Gratidão 2014 e feliz 2015!


Prezados leitores e companheiros do "Caminho" : FELIZ ANO NOVO!


21 de abr de 2014

Como funciona a Acupuntura


19 de mar de 2014

Dor Crônica e Depressão


Dor é sempre subjetiva
Sempre uma sensação desagradável
Sempre uma experiência emocional

               



A dor crônica não está necessariamente relacionada à presença de um dano físico. Quando a dor persiste após o estímulo doloroso ter cessado é sinal que as vias do processamento doloroso estão alteradas na pele, nos músculos, na  medula, que leva as informações ao cérebro, além do próprio cérebro.

O nosso sistema interno, que tem a capacidade de reduzir a percepção da dor, pode estar alterado total ou parcialmente, gerando respostas mal adaptativas  que irão afetar todo o organismo. Esse processo se dá pela desregulação dos níveis de neurotransmissores que são responsáveis pela sensação de bem estar, alterando os níveis hormonais e diminuindo nossa imunidade.

Com o esgotamento do sistema interno que inibe a dor, surgem sintomas como fadiga, dificuldade de concentração, atenção, memória e alterações do sono que geram ansiedade, angústia e depressão.

Muitas vezes as pessoas com dor crônica podem sentir dor em resposta a pequenos estímulos que normalmente não causariam dor como, por exemplo, o toque suave de uma mão ou dos tecidos de sua própria roupa. Hoje sabemos que a dor pode ocorrer na ausência de qualquer estímulo. O cérebro, por si mesmo, pode gerar a sensação de que existe dor.

Algumas pessoas podem ter maior facilidade do que outra em desenvolver doenças que se manifestam cronicamente através da dor, por influência do ambiente em que vivem e por influências genéticas reconhecidas por histórias familiares semelhantes.

As pessoas ansiosas, perfeccionistas ou aquelas com trabalhos estressantes, com problemas emocionais importantes, são mais predispostas a desregular o sistema interno de controle da dor, que nesses casos já estará sobrecarregado e vulnerável.

Quem já não sentiu dor no pescoço ou nas costas após um dia de trabalho exaustivo? Quem não sentiu uma dor inexplicável após um acontecimento emocional pesado?

As regiões do cérebro que são responsáveis por gerenciar como sentimos dor são as mesmas que controlam nosso estado de humor. Ou, pensando de outra forma, as áreas que controlam nosso estado de humor serão as mesmas que dirão como sentimos nossas dores.

Pesquisas com ressonância magnética demonstram que a área do cérebro que processa a dor física é a mesma que processa a dor emocional da rejeição.

A perda de um amor ou trabalho pode, portanto, causar uma verdadeira dor física, seja ela mínima ou potencialmente perigosa para algum órgão interno. Quem já não ouviu falar em úlcera de estresse?
Como podemos tratar?
Como a Acupuntura Neurofuncional pode auxiliar no tratamento?

As mudanças que ocorrem em nosso corpo físico e mental podem ser detectadas por métodos médicos científicos, clinicamente aprovados e que fornecem um verdadeiro mapa das nossas disfunções.

Contraturas musculares, alterações na cor e textura da pele em determinadas regiões, podem sinalizar alterações químicas importantes que acontecem na dor crônica.

Hoje a ciência comprova o grande efeito regulador que a acupuntura possui sobre as regiões cerebrais que controlam a dor, as emoções, os níveis hormonais e o sistema imunológico.

Interessantemente, as áreas do cérebro que são ativadas pela acupuntura são as mesmas em que a hipnose e a meditação atuam.

Exercícios que ajudam a realizar uma respiração harmoniosa e controlada, como ioga e pilates, são de grande ajuda na dor crônica.

Fonte: www.acuneuro.com.br


12 de mar de 2014

Mapa Reflexológico do Rosto

Os meridianos de cada órgão passam por diferentes partes do nosso rosto e quando não estão transmitindo a energia vital de forma equilibrada deixam marcas. 

 Olhe atentamente as imagens abaixo, e observe, através do seu rosto, se você estiver com algum órgão do corpo fora do equilíbrio, à respectiva área será refletida seja por uma leve dor, mancha, alteração da cor da pele, machucado ferimento.

Observe a área correspondente ao órgão no mapa reflexológico facial abaixo:








6 de mar de 2014

Mapa Reflexológico dos Pés

Em nossos pés estão impresso como anda todo o funcionamento de nosso corpo... Olhe atentamente as imagens abaixo, e observe, se você estiver com alguma área do corpo enfermo, a respectiva área será refletida em seus pés, seja por uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc.; basta apenas olhar a área correspondente ao órgão no mapa reflexológico abaixo:


OBS: Se estiver em seus pés uma leve dor, mancha, avermelhamento machucado ferimento e etc., e seu órgão não estiver refletindo, então considere como um possível acontecimento futuro...







Ocorreu um erro neste gadget